sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Uma reflexão sobre a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016

A década de 2010 será a década do esporte para o Brasil. Será? Vejamos: em 2014 ocorrerá o maior evento futebolístico mundial – a Copa – e dois anos mais tarde (2016) o maior evento esportivo – as Olimpíadas. O país aproveitará essa oportunidade para trazer investimentos em infra-estrutura e, acima de tudo, para o esporte nacional? É uma boa questão para ser debatida...
A Copa de 2014 terá como cidades-sede: Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo (veja no mapa abaixo). Estádios serão construídos, outros reformados, enfim, melhorias deverão ser sentidas em relação a esse fato.

Fonte do mapa: globoesporte.com

Mas, as cidades estarão preparadas para receber pessoas de todas as partes do mundo? Como estarão os sistemas de transporte, hotelaria e recursos humanos dessas sedes?
Na maioria dos casos há uma enorme necessidade de investimentos em todas essas áreas, sobretudo no que se refere à mobilidade urbana (palavras da moda, em tempos de Copa). Haverá tempo para tais investimentos? Eles realmente trarão retorno para a sociedade como um todo, principalmente os moradores desses municípios? É o que se espera, sem dúvida nenhuma.
Já as Olimpíadas de 2016 se realizarão na cidade do Rio de Janeiro. Os cariocas já haviam se candidatado para serem sede das Olimpíadas de 2012, mas perderam. Dessa vez deu tudo certo. Concorrendo com cidades de peso, como Chicago (EUA), Tóquio (Japão) e Madri (Espanha), a cidade do Rio de Janeiro foi anunciada como sede no dia 02 de outubro de 2009.
Como ficarão os problemas da cidade? A questão da violência, o caótico transporte, o sistema hoteleiro? Enfim, realmente a cidade irá conseguir fazer o maior evento esportivo do mundo sem problemas mais sérios?
É verdade que houve mérito na realização dos Jogos Panamericanos de 2007, principalmente no que se refere às instalações esportivas. Por outro lado, surgiram denúncias sérias relacionadas à questão financeira, incluindo desvio de verbas e superfaturamento de produtos. O que irá prevalecer nos Jogos Olímpicos?
Um outro fato chama a atenção com relação aos dois eventos esportivos. É a força do presidente Luis Inácio Lula da Silva. Tenho várias críticas direcionadas ao seu governo, principalmente ligadas aos atos de corrupção, apoio político a pessoas no mínimo controversas – vide caso José Sarney – , enfim. Mas é fato que Lula conseguiu, com o apoio de outras figuras, é claro, trazer para nosso país dois eventos esportivos mundiais de grande vulto. Não há como negar – pelo menos em parte – a influência da figura do presidente.
Resta, portanto, acreditar que tudo transcorrerá da melhor maneira possível e que as benesses sejam maiores do que os possíveis transtornos e problemas.



Abaixo, uma visão irônica sobre a questão da Copa do Mundo no Brasil: uma charge de Duke.


5 comentários:

Marcia disse...

É a nossa realidade de outros países, tudo deve ficar bonitinho para mostrar para os outros.

Paulo Braga disse...

É isso mesmo, Márcia!

Anônimo disse...

Guilherme disse...
agente nao tem q fazer bonitinho pros outros, agente tem q fazer bonito pra nós mesmos. A consequencia disso será o resultado do NOSSO trabalho, e ai sim os estrangeiros vao nos aprovar e nos respeitar!

Anônimo disse...

flw poko mas flw bonito esse guilherme, nao tem q fikar fazendo de bonzao pros outros nao, vcs estao enganados. Esses eventos são pra ajudar a melhorar o nosso país!

Eduardo Borges disse...

Gostei...você também pode ver alguns conteúdos neste blogger relacionado a copa 2014 no Brasil .. http://estudapelaweb.blogspot.com.br